quinta-feira, 14 de julho de 2011

A importância da psicologia no processo de reabilitação

Quando um paciente adquire uma incapacidade física, ficando paraplégico, por exemplo, tem sua independência diminuída, e enfrenta muitas dificuldades. Estas transcendem o âmbito físico, e passam a influenciar nos aspectos psico-sociais do indivíduo.
Estes aspectos também devem ser trabalhados para o sucesso da reabilitação física.

Por este motivo, pedi a minha amiga Priscila Rodrigues, psicóloga, falar um pouco sobre o papel da psicologia na reabilitação física:

"O processo de reabilitação física de um paciente deve ter por objetivo verificar e identificar possíveis ocorrências de déficits cognitivos, alterações afetivo emocionais, incapacidades físicas, bem como os quadros de patologias associadas e comorbidades. Além disso, também deve abranger a inserção social do paciente reabilitado, ampliação e fortalecimento de suas redes sociais. 

O papel do psicólogo em uma equipe de reabilitação é a avaliação, acompanhamento, psicodiagnóstico e tratamento psicoterapêutico, individual e em grupo, a fim de identificar os aspectos das funções cognitivas e afetivo emocionais, bem como aspectos da personalidade e comportamento. A partir daí, é possível estabelecer relação de todo o funcionamento do sujeito com possíveis alterações causadas por qualquer tipo de deficiência. 

O psicólogo numa instituição de reabilitação física atua na modalidade de psicoterapia breve, individual ou em grupo, dependendo do caso, com o foco na deficiência e os impactos que esta trouxe para o paciente e sua família, colaborando e atuando diretamente com a equipe interdisciplinar, realizando interconsultas quando se fizer necessário. Essa modalidade psicoterapêutica tem por base o trabalho biopsicossocial, que integra o indivíduo como um todo, para que este possa tomar consciência de suas incapacidades físicas e/ou cognitivas e poder buscar novas formas de viver sua vida de forma adaptada, sempre enfatizando e valorizando todos os ganhos decorrentes do processo de reabilitação."

Priscila Aparecida Rodrigues é psicóloga do Serviço de Psicologia do Instituto de Medicina Física e Reabilitação do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo e Especialista em Psicologia Clínica Hospitalar em Reabilitação

3 comentários:

  1. Ana Flávia Guimarães Moura14 de julho de 2011 15:30

    Viva a equipe multidisciplinar!Parabêns Dê pela iniciativa do BLOG e Pri pelo texto!
    beijos,

    ResponderExcluir
  2. Caroline Fioramonte14 de julho de 2011 23:20

    Parabens pelo blog!!!!!!

    ResponderExcluir
  3. Maria Eduarda Leme21 de julho de 2011 11:26

    Parabéns pelo texto e por vocês trazerem a importância da contribuição da Psicologia na reabilitação, numa perspectiva ampliada! Gradualmente a reabilitação vai sendo entendida como um processo realmente interdisciplinar, e nesse conjunto, a Psicologia tem importância fundamental, como o texto mostra. Eu diria também que, além do trabalho psicoterápico enfocar a incapacidade para auxiliar o reabilitando a elaborar as perdas e limitações, ele enfoca as capacidades remanescentes a serem potencializadas, possibilitando ao paciente deslocar sua atenção das perdas para as possiblidades de ganho e mudança.
    Maria Eduarda

    ResponderExcluir